Teolatria

No Teolatria você encontra diversos estudos bíblicos em slides (power point) para baixar, além de muitas pregações, sermões expositivos, textuais, temáticos em mp3, dos pregadores da IMVC - Vilhena/RO: Pr. Cleilson, Pb. João, Pb. Alex, Pb. Wesllen Ferreira, Dc. George Michael, irmã Clair Ivete e pregadores convidados. Para ouvir os sermões em alta qualidade, peça seu cd por e-mail especificando seus dados para recebimento e qual mensagem você deseja adquirir: prcleilson@hotmail.com

sexta-feira, 22 de março de 2013

EU RABUJO



Toda a amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmia e toda a malícia sejam tiradas dentre vós (Efésios 4:31).

Por: Mário Gardini

E... tu rabujas, ele rabuja, nós rabujamos, vós rabujais e eles rabujam.

Provavelmente a conjugação do verbo acima não exista. Quem sabe, com a minha “argúcia” eu o tenha inventado.

Mas observe: primeiro “eu rabujo”.

Rabugento é o impertinente, reclamão, manhoso, chorão, crítico, ingrato e muito falante de coisas ruins.

Conviver com o rabugento é contrair doença (endemia). É uma peste, inoculada na natureza humana e precisa de tratamento urgente.

Rabugices no casamento geralmente terminam em divórcio. No emprego, leva à demissão. Na profissão, gera desconfortos e muito atrito; entre vizinhos, provoca uma guerra.

O escorpião é tão rabugento que se você o colocar num círculo de fogo, ele, desesperado e nervoso, aciona o seu ferrão e pica a própria cabeça e se mata.

Já tentei apanhar gatos rabugentos para dar-lhes comida e água. Foi a pior coisa. Fui arranhado e o bichano ingrato me mordeu.

Eu morava perto da Avenida Jô Sato. Um belo dia apareceu um gato, preso em um bueiro. Sinceramente queria tirar o gatinho da enrascada, e talvez até levá-lo para curar seus ferimentos. Até tive o socorro de uma querida vizinha. O rabugento gato fugiu de mim e foi “miar” próximo à minha casa.

Uma rabugice muito comum são as conversas de “gênio”, “têmpera” e o rabugento diz: “Eu nasci em tal estado e lá a gente resolve na ‘peixeira’, no ‘tiro’, pois temos honra e dignidade”.

Outra rabugice: “Não perdoo”. “Sou assim e pronto”.

O rabugento tem o mal da “Gabriela”. É uma música que tem um trecho que expõe essa síndrome: “Eu nasci assim, vou viver assim, vou morrer assim, sempre Gabrieeela (...)”.

Deus trata do “rabugento” pela sua graça. A palavra diz: “Se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres” João 8:32.

Mário Gardini é escritor
e colaborador de artigos
no Teolatria.

2 comentários:

  1. Para mim, às vezes (ou quase sempre) o verbo é conjugado mesmo na 1ª pessoa...

    Peço ao Senhor para me livrar de minhas rabugices.

    ResponderExcluir
  2. Faço das palavras do Pr.Cleílson as minhas...

    Wesley A.Peronica

    ResponderExcluir