Teolatria

No Teolatria você encontra diversos estudos bíblicos em slides (power point) para baixar, além de muitas pregações, sermões expositivos, textuais, temáticos em mp3, dos pregadores da IMVC - Vilhena/RO: Pr. Cleilson, Pb. João, Pb. Alex, Pb. Wesllen Ferreira, Dc. George Michael, irmã Clair Ivete e pregadores convidados. Para ouvir os sermões em alta qualidade, peça seu cd por e-mail especificando seus dados para recebimento e qual mensagem você deseja adquirir: prcleilson@hotmail.com

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

COMPREENDENDO A GRAÇA DA ORAÇÃO


Por: Pr. Wellington Miguel

“Se Deus já sabe, por que orar?”. Esse é o título de uma reflexão do Dr. Ricardo Barbosa, pastor da Igreja Presbiteriana de Brasília. “Janelas para a vida” é o livro onde se lê sobre essa reflexão. Esse livro é um daqueles que modificam nossos paradigmas e redirecionam nossa teologia e prática cristãs.

Nunca compreendi a oração pelo prisma que o Rev. Ricardo Barbosa refletiu e traduziu nesse livro. Quero aqui, compartilhar essa reflexão e o que ela modificou na minha prática de oração.

A oração em nossa sociedade moderna e pós-moderna foi totalmente descaracterizada do seu propósito. Hoje a oração tem uma face que traz as marcas do seu tempo. Numa sociedade imediatista, consumista, materialista e irreverente, a oração tornou-se um instrumento utilitarista, triunfalista e de conquistas meramente egoístas.

Antes a oração, que era o lugar de conhecer o propósito de Deus, agora é um lugar onde orientamos e determinamos para Deus o que deve ser feito. Tornamo-nos seu conselheiro, embora “quem, pois, conheceu a mente do Senhor? Quem foi seu conselheiro?” Rm 11.34. Bom, numa sociedade marcada pelo antropocentrismo, o homem como centro, “Deus tem que Se sujeitar”.

Admiro a coragem, se é que posso chamar isso de coragem, daqueles que entregam suas ofertas e dízimos e julgam ter o direito de exigir de Deus “em suas orações” o que Lhe pedem. Nos dizeres do apóstolo Pedro: “que pereçam eles com seu dinheiro, pois julgam adquirir, por meio dele, as dádivas de Deus.” – At 8.20

Mas não é assim desde o princípio. Alguns podem argumentar que a oração é de fato o lugar das petições. De fato, ela é o lugar para as nossas petições e ainda apresento referências, por exemplo: “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças” - Fp 4.6. No entanto, continua o apóstolo: “E a paz de Deus que excede todo entendimento guardará a vossa mente em Cristo” – Fp 4.7. A proposta da oração é promover paz e guardar o coração em Cristo. É desprender o coração da solicitude dos nossos tempos, da paranoia do consumismo e da cobiça, da ostentação dos bens e das concupiscências da carne.

O propósito da oração é de manter nossos pensamentos nas coisas lá do alto, não nas que são da terra. A oração é o lugar de aquietar o coração, pois, é na quietude do coração que o Senhor fala.

Quando o Senhor ensina Seus discípulos a orar, Ele diz: “venha o Teu Reino, e seja feita a tua vontade”. Embora a oração seja o lugar da expressão do nosso coração, onde falamos dos nossos sonhos, manifestamos nossas vontades e apresentamos nossos planos, a oração é o lugar de conformar o nosso coração. Conformar o coração à vontade Deus. É lugar de conhecer a vontade de Deus e de submeter a ela o nosso coração, nossos sonhos, nossos desejos. Embora pareça desconfortável, a vontade de Deus é boa, perfeita e agradável. O próprio Filho, Jesus Cristo, não somente ensinou conformar o coração a vontade de Deus, como Ele mesmo o fez no Getsêmani: “Não seja como Eu quero, mas como Tu queres”.

Além do mais, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim os caminhos e os pensamentos do Pai são mais altos do que os nossos – Is 55.8,9. Compreendo que o que se propõe aqui, é como nadar contra a correnteza dos nossos tempos. No entanto, olhar para a oração como caminho de comunhão e conhecimento do coração do Pai através do Filho, e do Filho através do Pai, mediante o Espírito Santo, nos levará ao conhecimento de nós mesmos, à compreensão de que a graça nos basta, de que a plenitude do Espírito satisfaz a alma e de que a prioridade do Reino em nossas vidas acrescentará as demais coisas. Conheça a graça da oração!

Soli Deo Gloria

Pr. Wellington Miguel

Pr. Wellington Miguel é pastor
na IMVC da cidade de Esmeraldas/MG
e pós-graduado em Teologia na área
de Aconselhamento

5 comentários:

  1. Pela destreza com que as palavras fluem do amado pastor, servo de nosso Senhor Jesus, seus artigos têm-me levado a sérias reflexões e a cada dia burila meu caráter cristão.

    De fato, a oração é a descoberta de si mesmo, antes da descoberta de Deus, é o desnudar da alma humana para homogeneizar-se à alma divina através do Espírito.

    Leva-me à prática desta descoberta, Senhor, pois é isto mesmo que Tu és: Senhor!

    ResponderExcluir
  2. A compreensão equivocada do propósito da oração se dá pelo fato de muitos cristãos não estudarem com cuidado as escrituras.O que falta na verdade é conhecimento bíblico.Quando o crente conhece a palavra ele entende o que é realmente oração.É hora de voltarmos ao estudo sério das escrituras para não pensarmos que oração é simplesmente um caminho para obtermos as bençãos de Deus e que ele é obrigado a realizar nosso desejos que via de regra são contrários a sua vontade.Oração é comunhão com o Pai, é estar a seus pés ouvindo sua doce voz, oração é conhecer mais a intimidade de Deus, é receber de sua graça e seu amor, e sua misericordia.Louvado seja Deus por sempre ouvir nossas orações.

    ResponderExcluir
  3. Que benção esta palavra trouxe ao meu coração, relembrei quantas coisas boas a oração me proporciona, o conhecer de mim mesma me faz reconhecer que preciso orar muito mais do que penso, e desfrutar da comunhão com Deus usufruindo de uma paz que excede todo entendimento é muito maravilhoso. Que Deus abençoe a todos nós.

    ResponderExcluir
  4. Benção o vosso artigo Pastor Wellington, agradeço a Deus, pois ele tem trazido sempre coisas novas para nossa "caminhada". Que Deus continue a lhe abençoar e consequentemente nos abençoar.

    ResponderExcluir