Teolatria

No Teolatria você encontra diversos estudos bíblicos em slides (power point) para baixar, além de muitas pregações, sermões expositivos, textuais, temáticos em mp3, dos pregadores da IMVC - Vilhena/RO: Pr. Cleilson, Pb. João, Pb. Alex, Pb. Wesllen Ferreira, Dc. George Michael, irmã Clair Ivete e pregadores convidados. Para ouvir os sermões em alta qualidade, peça seu cd por e-mail especificando seus dados para recebimento e qual mensagem você deseja adquirir: prcleilson@hotmail.com

domingo, 18 de março de 2012

A RESSURREIÇÃO E A INCULTURAÇÃO DA PRÁXIS DO CÉU

 

Por: Pr. Wellington Miguel

“Portanto, já que vocês ressuscitaram com Cristo, procurem as coisas que são do alto, onde Cristo está...” – Cl 3.1

Recentemente ouvi uma mensagem singular sobre “A ressurreição de Jesus e suas implicações na vida do Cristão” em nossa IMVC em Esmeraldas/MG pregada pelo meu amigo Álvaro Martins dos Santos, onde foi resgatado o lugar da ressurreição na vida cristã.

E, quando ouvimos um tratado sobre a ressurreição, normalmente, fica restrito à experiência que o Senhor Jesus vivenciou, pois era impossível que a morte o retivesse. No entanto, na leitura das cartas paulinas podemos observar que a ressurreição de Jesus tem repercussões surpreendentes que se desdobram no dia a dia daqueles que experimentam em seu ser a obra da redenção. A ressurreição e suas dádivas estão presentes na vida do cristão.

Mas, no momento quero me ater ao fato de que a ressurreição promoveu a liberdade. Embora o pecado ainda habite no homem redimido (Rm 7.17), o pecado não opera mais o domínio, submetendo-o a escravidão de seus desejos. Logo, a liberdade da ressurreição diz respeito à liberdade do domínio do pecado (Rm 6.12,14).

Sendo assim, “já que ressuscitaram com Cristo, procurem as coisas que são do alto...”. Anteriormente, sendo escravo do pecado, o homem estava submetido ao seu domínio. Agora sendo livre, porém escravo de Deus (Rm 6.22), está livre para procurar as coisas que são do alto, ou seja, anteriormente, seus pensamentos mantinham-se nas coisas terrenas, amoldados ao padrão deste mundo com seus valores. Uma vez que está livre pela ressurreição, deve procurar as coisas do alto.

O que são as coisas do alto? Bom, é onde Cristo está, inclusive, assentado à direita do Pai. Parece tratar de um lugar, porém não geográfico. Isso não importa, o que é interessante é que Cristo está lá. Então, as coisas do alto vêm de onde Ele está. As coisas terrenas são listadas pelo apóstolo. Ele diz que são a imoralidade sexual, impureza, paixão, desejos maus, ganância, ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem indecente no falar, mentira e por aí vai a maldita listagem (Cl 3.5-9). Paulo vai figurar isso como “o velho homem do qual já se despiram”.

Agora se revestiram do novo, aqueles que pela ressurreição são livres, mas com um destino: “sendo renovados à imagem do seu Criador”. Isso é tremendo! Mas isso se dá em conhecimento (epignwsin) – Cl 3.10. Em Cl 3.12, Paulo então passa a discorrer que esse “novo” é o povo escolhido de Deus, santo e amado. É o povo que experimenta a liberdade da ressurreição, que se desnuda do velho homem que se corrompe com as coisas terrenas. Esse é o homem que mantinha seus pensamentos nas coisas da terra, o homem que inculturou, amoldou-se e absorveu os valores terrenos. Agora é aquele que vai inculturar os valores do alto, ou seja, procurar as coisas do alto.

A ressurreição é a inculturação dos valores do céu. Cultura é um conjunto de modos, práticas, tradições e hábitos de uma sociedade. E, numa sociedade pós-moderna, onde uma de suas bandeiras é o relativismo, práticas pecaminosas são nomeadas como exercício cultural de uma determinada sociedade. Minha proposta nessa reflexão não visa um movimento contra a cultura, porém, sermos itinerantes do céu na terra.

Procurar as coisas do alto é inculturar as práticas do céu. É ser transformado pela renovação da mente pelo conhecimento dos valores do céu onde Cristo está. É internalizar os modos, práticas e hábitos do alto. As coisas do alto são as coisas de Cristo. Paulo prossegue dizendo: “revistam-se de profunda compaixão, bondade, humildade, mansidão e paciência. Deem suporte uns aos outros. Perdoem as queixas, revistam-se do amor, o elo perfeito. Que a paz seja o juiz do seu coração e habite ricamente a Palavra de Cristo em vocês”.

A cultura é algo que naturalmente é praticado por um membro de uma sociedade. Assim como povo de Deus, cuja pátria está nos céus, naturalmente deve-se externar a cultura celestial. E assim, no dia a dia, o poder da liberdade da ressurreição atua nos membros do corpo do redimido para oferecê-los à justiça, às obras da retidão.

Enfim, a ressurreição é a liberdade dos escravos de Deus, que estão sendo renovados à imagem do seu Criador, para que nessa nova vida Cristo seja tudo, e para que a cultura do céu seja uma novidade surpreendente e salvífica numa sociedade afadigada pela previsibilidade do pecado.

Em Cristo!

Pr. Wellington Miguel

Pr. Wellington Miguel é pastor
na IMVC da cidade de Esmeraldas/MG
e pós-graduado em Teologia na área
de Aconselhamento
  

5 comentários:

  1. Suas pérolas, pastor, são sempre ornamentos caríssimos a este blog. De fato, a promessa da vida eterna não é um ópio, mas um desdobramento que se começa aqui. Bem-aventurados os que receberam a ressurreição e de seus efeitos participam desde já!

    ResponderExcluir
  2. Sim amado Pr. Cleilson, o Senhor, aquele que efetua tanto o querer quanto o realizar em nós, concede-nos a graça para servi-lo. Sinto-me alegre quando Ele, em sua GRANDE misericórdia, nos proporciona esse prazer.

    Forte abraço meu pai na fé!

    Pr. Wellington Miguel
    Esmeraldas/MG

    ResponderExcluir
  3. A ressurreição corporal se dará somente no retorno do Grande Salvador Jesus Cristo, contudo é impressionante a verdade de que mesmo nessa vida terrena os crentes já experimentam os benefícios dessa ressurreição na nova vida que recebem ao crerem no Cristo ressurreto.E a lógica é que se estamos mortos para esse "mundo"(sistema cujos valores são corrompidos), devemos viver com novos parämetros onde a referëncia não é mais nas tendëncias contemporänias como o relativismo citado pelo Pr.Wellington, mas sim pelos valores do reino celestial onde Cristo está.Que vivamos na íntegra as implicações da ressureição de Jesus em nossa vida prática.

    ResponderExcluir
  4. Como é bom ser seguidora do Teolatria, pois, este blog é um verdadeiro seminário que nos leva a meditar com mais clareza e profundidade nas maravilhas de Deus. Que Deus abençoê Pr. Wellington, Pr. Cleilson e demais irmãos que compartilham conosco seus conhecimentos e experiências.

    ResponderExcluir
  5. realmente se nos e nascido com cristo temos que pensar as coisas do alto que este estudo do pr Wellington deixa bem claro para nos meditar mais profundo a ma maravilhoso palavra de deus que empessoante das vida terrestre o crente ja desfrutando os beneficio dessas nova vida em cristo por nos temo que cada dia crucificar nosso velho homem ressuscitar a nova vida em cristo pra só se preocupar com as coisa do alto a onde cristo realmente banir as coisas velhas que saõ as impureza sexual que deus abomina

    ResponderExcluir